Feliz 2011!

Bem, tenho recebido vários cartões de Natal de amigos ilustradores. Cada um mais bonito do que o outro. Resolvi pagar um miquinho, pegar a caneta e rascunhar um também. Lembrem-se: Não sou ilustrador! Mas a mensagem é verdadeira. Feliz 2011 para todos!


Condomínio pela Ceci

Olha que bacana. A Ceci, priminha de cinco anos que mora em Nova Iorque, adora o Condomínio dos Monstros e nos presenteou com um desenho muito legal. Adorei o Frank.


Resultado do Desafio

Terminou o 6º Desafio dos Escritores promovido pelo Núcleo de Literatura do Espaço Cultural da Câmara dos Deputados de Brasília, criado, dirigido e produzido por Marco Antunes. O resultado foi aunciado no dia 16 de dezembro.
(http://desafiosdosescritores.sites.uol.com.br/)

A grande vencedora do grupo J.K. Rowling de Literatura Infanto-Juvenil, foi Marilia de Dirceu, pseudônimo da professora e autora cearense de Jaguaruana, Vicência Jaguaribe. De acordo com o site República dos Autores (http://www.republicadosautores.com.br/), Vicência já lançou 4 livros: Os infantis "Carolina Trovão, seu colar de corais e o raiozinho de sol" e "A dança dos pirilampos", ambas pela Editora Imeph, "Brincando no ritmo da poesia", livro de poemas infantis pela editora Protexto de Curitiba, e "Ancoragem em porto aberto", livro de contos oublicado pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores.


Em segundo lugar ficou João Paulo Hergesel, vulgo Joaninha Platinada, de Aluminio-SP, que acabou ganhando o troféu de melhor história infanto-juvenil do Desafio com o texto "Henrique Pietro e a Cartola Vermelha", da sétima etapa. João Paulo, ou JP, é o criador do blog Joaninha Platinada (joaninhaplatinada.blogspot.com).

O terceiro lugar foi para o Esopolitano, ou Eduardo de Paula Nascimento, de Franca-SP.

Fui convidado para ser jurado do Desafio e entrei na terceira rodada, ficando até o final. Li alguns textos excelentes e outros nem tanto. A melhor coisa foi ver que os participantes realmente absorveram tudo o que dizíamos ao dar as notas. No final a pontuação estava melhor e havia pouquíssimos erros de concordância ou falta de revisão. É bom saber que de alguma forma colaboramos para o crescimento de novos escritores. Tem alguns ali que certamente serão conhecidos do grande público.

Entre os textos que li, destaco os seguintes:
"Tocar na banda" - Pirolito (3ª etapa)
"A reclamação do porcalhão" - Charlotte Seiva (4ª etapa)
"Saindo do meio da buginganga" - Joaninha Platinada (4ª etapa)
"Minha sombra indesejável" - Marilia de Dirceu (6ª etapa)
"Henrique Pietro e a Cartola Vermelha" - Joaninha Platinada (7ª etapa)
"As aventuras de Emilia, Narizinho e Pedrinho em Hogwarts" - Esopolitano (7ª etapa)
"O diário de um pré-adolescente diferente" - Marilia de Dirceu (8ª etapa)
"Meu louro preferido" - Joaninha Platinada (8ª etapa)

PARABÉNS A TODOS OS PARTICIPANTES E AO MARCO ANTUNES QUE SE DEDICOU DE CORPO E ALMA PARA O SUCESSO DO DESAFIO DOS ESCRITORES! UM BRINDE!

Por que escrever?

Uma vez me perguntaram porque eu escrevia. Respondi: "Ter uma história na cabeça e não colocá-la no papel é como ter um brinquedo que não podemos tirar da caixa."

Ser escritor, para mim, é poder brincar com as letras. Fazer surgir alguma coisa divertida com elas. É como o LEGO. O resultado depende da criatividade de quem brincou. Só que ao invés de montar com pecinhas de plástico, montamos com palavras. Gosto muito disso.

Telefonema

- Alô?... Oi, mãe... Eu estava mesmo pensando em ligar... Juro... Escutei o seu recado na secretária eletrônica mas quando cheguei já estava quase amanhecendo e não quis incomodar... Fui naquela boate nova que abriram perto do cais, a Thirteen, conhece?... Thirteen!... Pô, mãe, é treze em inglês!... O lugar? Achei exageradamente gótico, mas a música era boa e o bloody mary barato. Conheci um rapaz bonito, mãe. Você precisava ver. O cara é sangue-bom demais... Horácio alguma coisa, não me lembro... Não, não é filho de ninguém importante... Tenho certeza, pode deixar... Dançamos a noite toda e depois viemos aqui pra casa... Não, mãe, tá pensando que eu sou o quê?... Namoramos um pouquinho e vimos aquele DVD do Dr. Phibes, sabe qual é?... A parte 1.... O que a mulher dele morre... O Horácio? Ainda tá aqui em casa, mãe... Você pode vir aqui me ajudar?... Isso, isso... Pode deixar que eu tenho balde e esfregão... Venha logo porque tá uma sangreira danada... Já escovei os dentes, mãe... Te amo também... Um beijo...Tchau.

1º lugar no I Concurso de Minicontos do site Estronho e Esquésito, em 2009.

Livros com ilustrações de Cris Alhadeff

Eu estava aqui pensando: "Por que não mencionar os livros com ilustras da Cris Alhadeff aqui no meu blog?"

Decidi escrever sobre eles, afinal, além de minha querida sócia conjugal, a Cris é uma ilustradora super criativa e versátil. As vezes há passagens de texto onde eu não consigo visualizar soluções razoáveis e ela pega um lápis e zás! Surpreende sempre.

Bem, o primeiro livro que ela ilustrou é o "Condomínio dos Monstros", da RHJ. Esse vocês já conhecem. Depois vieram "Alice faz aniversário", de Tânia Velozo, publicado pela Zit em 2010, "Vou contar um segredo - uma história cheia de medo", do Zé Zuca, pela Mirabolante em 2010, e finalmente "Alfinete, o porco-espinho", de Lucília Garcez, publicado pela Franco também em 2010.

Já postei comentários sobre o livro do Zé Zuca, então vou ficar só nos outros dois.

Alice faz aniversário - Tânia Velozo, de um jeito todo respeitoso, constrói uma história para a criança entrar e morar. Ela pode entrar, sem susto, nas alegorias do tempo por meio de um assunto bastante caro às crianças de todas as idades: o tamanho que o tempo tem. A medida? A data de seu aniversário, os aspectos simbólicos e lúdicos que o acontecimento contém. Assim, com maestria e simplicidade, Tânia nos convida a repensar a infância “escovando a história a contrapelo”, como nos diria o filósofo e crítico da cultura Walter Benjamin. A alegoria do movimento de escovar ao revés do pêlo toca os jogos tradicionais infantis, os papéis de presente, o bolo de chocolate, a alegria e o susto de crescer no período da infância. Surge, então, a criança revigorada, que, ao final da festa de aniversário, pode fechar os olhos e dormir. Na condição de ser apenas criança, se embalar e em sonhos partir. (Marcia Cabral)



Alfinete, o porco-espinho - Não há nada como um bom livro quando se está aprendendo a ler. Pensando nisso, a escritora Lucília Garcez escreveu uma obra inteirinha dedicada aos pequenos. Alfinete, o porco-espinho conta história de um porquinho que não sabe controlar seus espinhos.

Um detalhe muito legal nesse livro, é que a Cris pesquisou fotos que mostrassem detalhes das peles de porco-espinho, coelho, tamanduá, papagaio, capivara, gambá, ariranha e onça pintada. Em seguida tratou as imagens e aplicou no corpo dos personagens. O resultado ficou bem interessante!

E vem mais por aí. A Cris já tem outro livro ilustrado para a Franco, mas que ainda não foi publicado. Ah! E daqui a pouco sairá meu novo livro, "Festa do Calendário" pela RHJ, e adivinhe quem é a ilustradora? 

"Diário do Papai Noel" ganha concurso literário no Rio Grande do Sul

Uhu! Acabei de falar com a Alice Brandão, presidente da Academia Caxiense de Letras, com sede em Caxias do Sul - RS, e ela me informou que meu texto, Diário do Papai Noel, foi premiado com o 1º lugar no XV Concurso Literário Nacional e Regional, no gênero Obra Literária Infanto-Juvenil.

A ACL-RS foi fundada em 1962 sob o lema "Cultura: Facho Inextinguível" e seu âmbito é Caxias do Sul e demais cidades da região da Encosta Superior do Nordeste do Rio Grande do Sul.

Os gêneros contemplados pelo tradicional concurso são: Poema livre, Crônica, Conto e Obra literária (tema infanto-juvenil).

Podiam concorrer quaisquer escritores em língua portuguesa, domiciliados em qualquer um dos Estados brasileiros. Fiquei feliz em ver, entre os ganhadores de 2010, os nomes de alguns amigos que fiz em comunidades literárias. Parabéns aos talentosos André, Zé, Geraldo e Tatiana! Segue o resultado com os vencedores do concurso:

POEMAS
1º lugar: PESCADOR, de Reginaldo Costa de Albuquerque - Campo Grande/MS
2º lugar: CÂNONE, de Benilson Toniolo - Campos do Jordão/SP
3º lugar: GROUS JAPONESES, de André Telucazu Kondo - Jundiaí/SP

CRÔNICAS
1º lugar: MUTATIS MUTANDIS, de José Ronaldo Siqueira Mendes - Mutum/MG
2º lugar: JOGO DE DAMA, de Geraldo Trombin - Americana/SP
3º lugar: A SANTA, de Benilson Toniolo - Campos do Jordão/SP

CONTOS
1º lugar: MAR ADENTRO, de Tatiana Alves Soares Caldas - Rio de Janeiro/RJ
2º lugar: ARBEIT MACHT FREI, de Eduardo de Paula Nascimento - Franca/SP
3º lugar: MENINO SIMPLES, de Denivaldo Piaia - Campinas/SP

OBRA LITERÁRIA INFANTO-JUVENIL
1º lugar: DIÁRIO DO PAPAI NOEL, de Alexandre de Castro Gomes - Rio de Janeiro/RJ
2º lugar: A HISTÓRIA DO SAPO QUE OUSOU NAMORAR A LUA..., de Tatiana Alves Soares Caldas - Rio de Janeiro/RJ

Memórias da Literatura Infantil e Juvenil

Achei um site sensacional. Na verdade ele já parece estar no ar há bastante tempo, mas eu não o conhecia. Trata-se do Memórias da Literatura Infantil e Juvenil
(http://www.museudapessoa.net/mdl/memoriasDaLiteratura/index.cfm), que é parte do site Museu da Pessoa
(http://www.museudapessoa.net/index.shtml).


Quem gosta do mundo literário infanto-juvenil, irá certamente apreciar o site. Segundo o próprio, "Memórias da Literatura Infantil e Juvenil é um projeto que se constitui por fragmentos de memória, que, reunidos, compõem um mosaico vivo e dinâmico. Aqui, a Ruth, a Ângela, o Ziraldo, a Tatiana, a Ana Maria, e outros tantos, aparecem não como escritores ou ilustradores ou editores ou promotores de cultura, que são, mas como pessoas do mundo que narram, como a gente toda narra, um pouco do que viveram, de sua infância e descoberta, de suas alegrias e dores de viver e fazer. Aparecem-nos neste espaço como pessoas quaisquer, em suas singularidades, oferecendo ao leitor a palavra que diz suas vidas, suas memórias antigas e recentes, seus fazeres e sonhares".



Resumindo: o site conta com 45 entrevistas filmadas e transcritas de feras do mundo literário, com fotos, biografia e prêmios conquistados, além de uma linha do tempo com datas relevantes marcadas por entrevistados e leitores, e um Fórum de debates, onde o visitante pode falar sobre livros que marcaram sua infância, entre outros.

São ótimas entrevistas que nos dão uma ideia do que se passa na cabeça de alguns ídolos da literatura infantil e juvenil. Eu assisti, por exemplo, à Ângela Lago falando sobre a Maria Clara Machado, Pedro Bandeira comentando Monteiro Lobato, Ziraldo descrevendo como criou o livro "Flicts", a crítica literária Laura Sandroni explicando a criação da FNLIJ em 1968, e muitos outros papos interessantes e divertidos.

Os entrevistados são autores, ilustradores, editores e críticos literários. Estão lá: Marina Colasanti, Luis Antonio Aguiar, Sonia Junqueira, Ciça Fittipaldi, Jô Oliveira, Ana Maria Machado, Luiz Galdino, Claudio Martins, Ruth Rocha, Fernando Lemos, Marilda Castanha e muita gente boa. Recomendo! 

Audioteca Sal e Luz

Soube, através de um amigo, da existência da Audioteca Sal e Luz que fica na rua Primeiro de Março, no centro da cidade do Rio de Janeiro.

Bem, me interessei e fui dar uma olhada no site deles (www.audioteca.org.br). A audioteca Sal e Luz é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, que produz e empresta livros falados (audiolivros) para pessoas cegas ou com deficiência visual, em todo o território nacional. Seu acervo conta com mais de 2.700 títulos que vão desde literatura em geral, passando por textos religiosos, até textos e provas corrigidas voltadas para concursos públicos. São emprestados sob a forma de fita K7, CD ou MP3.

Dei uma olhada nos títulos disponíveis e achei Pedro Bandeira, com "O Fantástico Mistério de Feiurinha" e "O Fantástico Redutor de Moléculas", Jorge Amado com "Capitães de Areia", "Contos Escolhidos", dos irmãos Grimm, "O Perfume do Mar", de Jonas Ribeiro, "O Mágico de Oz", de L. Frank Braun, "A Ilha do Tesouro", de Robert L. Stevenson, "A Fantástica Fábrica de Chocolate", de Roald Dahl, todos em CD.

Quem se lembra dos livros de bolso da Inspetora? Alguns títulos da série de Santos Oliveira podem ser ouvidos em fita, CD e MP3.

Quem ainda tem walkman e prefere ouvir fitas K7 (não sei porque não transformam tudo em MP3 logo de uma vez) encontrará "As Aventuras de Tom Sawyer", de Mark Twain, o polêmico "Caçadas de Pedrinho", de Monteiro Lobato, "Chitty-Chitty Bang-Bang: O Calhambeque e os Gangsters", de Ian Flemming, "O Pequeno Príncipe", de Antoine de Saint-Exupéry, "O Menino do Dedo Verde", de Maurice Druon e mais.

Encontrei ainda títulos de Stella Carr, Lygia Bojunga Nunes, Ganymédes José, Orígenes Lessa, Sônia Hirsch, Pedro Bloch, Marcos Rey e muitos outros, só para ficar entre a turma de infantis e juvenis.  

Como se associar:
Para associar-se, a pessoa deve estar amparada pelo inciso III, Art. 70 do decreto 5296/04.
Ela precisará entregar ou remeter à Audioteca o formulário original de registro de associado, além de efetuar o depósito da contribuição anual (R$30,00 por ano).

ATENÇÃO: Os interessados que não dispuserem de recursos financeiros para fazer a contribuição anual poderão solicitar isenção da mesma.

"Monster Condo" no Clube do Livro de Jacksonville

O Condomínio dos Monstros chega aos Estados Unidos!

Um grupo de mães brasileiras que vive na região nordeste da Florida, firmou um compromisso de criar seus filhos cercados de cultura brazuca. Para isso, formaram parcerias com bibliotecas locais a fim de montar seções de literatura brasileira para suas crianças e apresentar nossa cultura às famílias americanas, através da literatura, música e teatro. Assim nasceu o Clube do Livro de Jacksonville (http://clubedolivrojacksonville.blogspot.com/).

O grupo não mede esforços para levar seu projeto adiante. Certa vez promoveu uma grande feijoada para arrecadar dinheiro e comprar livros infanto-juvenis de autores brasileiros para doá-los à biblioteca. Estive com uma das fundadoras do Clube aqui no Brasil, minha amiga de longa data Suzanna Lowell Siebert, e juntos visitamos várias livrarias, onde compramos livros da Ana Maria Machado, Ruth Rocha, Ziraldo, Monteiro Lobato, Mariana Massarani, André Neves, Fábio Sombra e de muitos outros craques da literatura nacional.

Uma das várias atividades do Clube do Livro é o Teatro Bilíngue, apresentado em duas línguas, sempre às 13:00 de um sábado ao mês, no Main Library Downtown em Jacksonville (Main Library, 303 North Laura St, Jacksonville FL, 32202 - 904 630-2417). Histórias brasileiras e americanas são apresentadas em português e inglês, com um projeto de arte logo a seguir. A entrada é gratuita e crianças de todas as idades são bem vindas.

23 de outubro / October 23: Condomínio dos Monstros / Monster Condo

Fiquei muito feliz em saber que o Condomínio dos Monstros seria apresentado para a galerinha de Jacksonville: The story is about a mummy that is unable to get to sleep because of her noisy neighbors!

Suzanna Lowell Siebert e Daniella Williams adaptaram e traduziram o texto para o teatro de fantoches. A narração ficou por conta da talentosa Elena. A criação dos fantoches e do cenário também foi obra da Su, que convenceu seu marido David Siebert a criar a estrutura que sustenta o edifício roxo de 5 andares. 

Foi um sucesso. A criançada presente riu e aplaudiu tanto que decidiram levar o teatrinho para o Southeast Branch Library. O novo espetáculo acontecerá hoje, dia 27 de outubro, às 16:30, horário local.


A group of Brazilian, Brazilian-American, and American children prepare for a horrifying show...

Múmia demands a meeting to discuss the chaos in the condo.

Dracula, Bruxa (witch), and Frank unite forces...

The Bicho Papão! Also known as the Boogeyman....

Brazilian "Monstros" and American "Monsters", or in this case, Egyptian.
Saci is a figure from Brazilian folklore, and not really a monster. He irritates Múmia by traveling around the building in his noisy whirlwind and by pressing all the buttons in the elevator.
 
Su com os monstros do Condomínio.
 
Todas as fotos foram tiradas durante a apresentação do dia 23 de outubro.

O mercado do livro digital no Brasil

O livro digital é uma realidade. Essa apresentação, criada por Carlo Carrenho do Publishnews, mostra as livrarias e distribuidoras digitais brasileiras, e-readers existentes no mercado, pesquisas sobre faturamento e vendas, o modelo Smashwords de auto-publicação, questões sobre direitos autorais e muito mais. Vale a pena dar uma olhada e se preparar para o futuro, que aliás já está batendo na porta. 

24/10/10 - Lançamento do livro "Viva eu, viva tu, viva o rabo do tatu!", de Cristina Villaça.

 Graça Lima, Laura Van Boekel, eu, Cristina Villaça, Cris Alhadeff e Nina

Graça, Cristina e o tatu!
O concorrido lançamento aconteceu hoje (24/10), na Livraria Argumento do Leblon - RJ

O livro ficou muito maneiro. Parabéns para Cristina, Graça e Escrita Fina!
Informações sobre o livro em http://www.cristinavillaca.com/

Coleção Itaú de Livros Infantis - Ano I


Olha que máximo: A Fundação Itaú Social lançou, em 2006, o Itaú Criança, com o objetivo de envolver pais, educadores, sociedade e poder público na defesa e garantia dos direitos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A partir de 11 de outubro, véspera do dia das crianças, o Itaú Criança fará a distribuição gratuita de mais de 8 milhões de livros infantis, direcionados à crianças de até 6 anos de idade. O grupo acredita que "incentivar o gosto pela leitura é um bom caminho para o desenvolvimento completo das crianças e fundamental para o crescimento do país". Eu mesmo não diria isso melhor. 

A Coleção Itaú de Livros Infantis é composta por quatro volumes que devem ser lidos e relidos com filhos, sobrinhos e netos. Uma coisa bem legal que estão pedindo é que você assuma o compromisso de repassar os livros para que outras crianças também possam curtir as histórias.

Os livros são "O Jogo da Parlenda" (Cia. das Letrinhas), de Heloisa Prieto, "Bem-te-vi e outras poesias" (Cia. das Letrinhas), de Lalau e Laurabeatriz, "Os três porquinhos" (Girassol) e "Lobisomem" (Girassol).

Para pedir os livros em sua casa, entre no site http://www.lerfazcrescer.com.br/ e cadastre-se.

6º Desafio dos Escritores

Bem, sou agora jurado do 6º Desafio dos Escritores promovido pelo Núcleo de Literatura do Espaço Cultural da Câmara dos Deputados de Brasília. Estou julgando o Grupo J K Rowling de Literatura Infanto-Juvenil.

Apesar de não ganhar 1 tostão com isso, fico feliz de participar desse projeto do Marco Antunes. 

Segundo ele: "O Desafio dos Escritores foi um projeto pessoal que, a duras penas, dei sequência a partir do Núcleo de Literatura do Espaço Cultural da Câmara dos Deputados, de que sou coordenador. No Núcleo ministramos oficinas abertas a toda a comunidade de Brasília, organizamos Saraus Literários e Musicais (agora em sua 40ª edição = Itália) tudo a partir de nenhum recurso, apenas paixão, MESMO ASSIM, sempre senti falta de falar com o Brasil, ocorreu-me então uma oficina virtual aberta sob a modalidade de concurso em 10 etapas, saindo a cada semana os últimos colocados até uma final em duas etapas entre os 5 primeiros. Assim foram os 5 primeiros, neste, seguem todos até a sexta etapa e daí em diante só os 5 primeiros colocados.
Aos poucos o Desafio cresceu e hoje temos 9 gêneros, com participantes de Portugal, África e de todo o Brasil (o vencedor do Terceiro Desafio foi português)."

A iniciativa é boa. Qualquer programa que promova a escrita literária tem o meu apoio. Fora que os participantes podem utilizar as críticas para melhorar seu trabalho cada vez mais. É uma aula muito bacana e original. 

Os temas desse ano são:
01) Fantasmas sem-teto
02) Objetos muito diretos
03) Pra lá da Terra Média
04) Como dizia Emília
05) Tá de onda, brother Grimm?
06) Meu querido monstro
07) Cabulando aula em Hogwarts
08) Uma prótese para o Saci
09) O vilão veste Prada
10) Somewhere over the rainbow... 

Revista Direcional Educador

Olha que legal! Descobri que meu livro "O Julgamento do Chocolate" foi indicado na Revista Direcional Educador nº 67 - Ciências na Sala de Aula, de agosto de 2010.


A revista, que tem como objetivo principal a formação continuada do professor, é muito bacana. Entre as matérias do nº 67 destaco "O universo mágico das histórias infantis", por Rosângela Delage, onde ela fala sobre o tipo de leitura recomendado para cada criança de acordo com sua idade, discorre sobre contos, fábulas, lendas, mitos e histórias, e dá indicações de livros que lidam com questões sociais. 

Na página 46, a editora da revista, Luiza Oliva, aponta algumas obras que permitem ações estimulantes com as crianças e os adolecentes. Não é que "O Julgamento do Chocolate" está lá?

Vida longa à Direcional Educador!

Bate-bola com a escritora Simone Pedersen e com o ilustrador Paulo Branco

Quem está no Vice & Versa desse mês, no blog da AEI-LIJ SP, é a minha amiga e autora Simone Pedersen, além de Paulo Branco, que ilustrou todos os seus livros e coleções infantis lançados na última Bienal de São Paulo. 

(Simone por Paulo Branco)

Gosto muito da Simone. Além de uma escritora de muito talento, premiada em vários concursos, é uma das pessoas mais bacanas que eu já conheci. Parabéns aos dois e à AEI-LIJ SP pela iniciativa. Segue o link: http://aeilijpaulista.blogspot.com/2010/08/vice-versa-de-setembro-de-2010.html   

Cris Alhadeff

Não sei se todos sabem, mas a Cris Alhadeff (http://www.crisalhadeff.com/) e eu somos casados e temos um casal de filhos. Desde o começo do namoro eu fiquei alucinado pelos seus desenhos. Tenho um amigo que brincou e disse que eu tinha que trancá-la em um quarto e recolher suas ilustrações para colocar em convites, cartões, capas de cadernos, papelaria, livros, etc.

Eu pensei em começar a escrever para crianças depois que a Cris me apresentou o livro infantil que um amigo dela fez. Logo imaginei ela ilustrando para a garotada. Quando vimos uma matéria na TV que mostrava um casal fazendo justamente isso, ela escrevia e ele ilustrava, resolvemos embarcar na ideia.

Cris Alhadeff sempre gostou de desenhar e trabalhar com arte. Cursou arquitetura na FAU-UFRJ e se formou em Desenho Industrial na Escola de Belas Artes.
De lá para cá já trilhou caminhos dos mais diversos, entre os quais desenvolvimento e produção de projetos de sinalização, construção de mock-ups, computação gráfica, design e desenvolvimento de CD-Roms, design sustentável, assessoria de comunicação e marketing (sempre na área visual), programação visual, desenvolvimento de ilustrações e vinhetas, e last but not least, webdesign.
Em 1997 participou do concurso nacional para o redesenho da nova moeda do Real, quando se classificou entre os vinte melhores projetos do Brasil à frente de várias grandes empresas de design.
Desde 1999 já criou sites, logos, identidades visuais, ilustrações e personagens para clientes do meio artístico e empresas no Brasil, Estados Unidos e Grécia.
Atualmente suas ilustrações podem ser vistas em livros, camisetas, carteiras e nos sites eraumavez.com.br e crisalhadeff.com.

Nosso primeiro livro juntos foi o "Condomínio dos Monstros", publicado pela RHJ em 2010. O trabalho da Cris, todo feito com lápis de cor, ficou muito maneiro. Seus personagens tem um traço meio punk e ao mesmo tempo são adoráveis. O capricho que ela tem com os detalhes só enriquece o resultado final. Adorei acompanhar com meus filhos cada detalhe do processo, desde o rascunho com os estudos de personagens até o trabalho finalizado. Tenho certeza de que grande parte do sucesso desse livro se deve ao seu talento e dedicação. E podem estar certos que não sou o único a achar isso. Desde o lançamento do Condomínio, em maio desse ano, até agora, quatro outros livros que levam sua assinatura já estão prontos.

Cris, adorei. Quero mais!

Cláudio Martins

Meu segundo livro, "Viagem Espacial Interativa", de 2009, foi ilustrado pelo Cláudio Martins. Assim que a editora sugeriu o nome, aceitei sem pensar duas vezes. Afinal era o Cláudio Martins. Quando contei aos meus filhos quem seria o ilustrador, eles nem acreditaram. Na época (maior coincidência) a escola do mais velho estava dando a coleção Casa Amarela, ilustrada pelo Cláudio, e o menino estava amarradão nos livros. Quando soube quem daria cor ao meu texto, tratou de contar a todos os amigos.

Cláudio Martins nasceu em Juiz de Fora (MG). Formado em Desenho Industrial, escreveu por volta de 40 livros, ilustrou cerca de trezentos e criou de mais de mil capas de livros para diversas editoras. Entre seus prêmios estão:
Selecionado para o Prêmio Catalunia de Ilustração, na Espanha (1989); Participação na lista de Honra do IBBY (International Board on Books for Young Peoples), Suíça (1990); Prêmio Octogone – Literatura de Transgressão, Paris; Prêmio Jabuti (ilustração 1991 e 1992); Prêmio APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte, e o Prêmio Melhor Livro para Crianças e Autor Revelação – com o livro "Eu e minha Luneta"; Prêmio Adolfo Aizem de Ilustração. Participação em feiras de livros, de 1994 a 2000: Catalunia – Espanha; Frankfurt – Alemanha; Bolonha – Itália; Gotemburgo – Suécia; Quito – Equador, e Bratislavia – Eslováquia.

As ilustrações do Cláudio para o "Viagem Espacial Interativa" ficaram muito legais. Seu menino de cabelo azul e os peixes são quase uma marca registrada do ilustrador. O cara também é muito simpático. Logo que nosso livro ficou pronto, mandei-lhe um e-mail agradecendo pelo trabalho. Ele respondeu:

"Olá, Alexandre!
Muito grato pelos elogios.
Seu livro é muito bom, ótimo para ilustrar!
Quem me dera fossem todos assim...
O trabalho da Cris é ótimo!
Parabéns para a família!"

Conceição Bicalho

Eu gostaria de falar um pouco sobre os ilustradores que participaram dos meus livros. Vou começar com a Conceição, que conheci em Belo Horizonte por ocasião do lançamento de "O Julgamento do Chocolate" em junho de 2008.

O livro do chocolate foi minha estreia na literatura infantil. Assim que a RHJ me ligou para fechar a publicação do texto, meu editor perguntou se eu teria alguém para ilustrá-lo. Claro que pensei na Cris, mas ela estava com trabalho até o pescoço. Me disseram então que tinham uma pessoa que certamente me agradaria. Essa pessoa era a Conceição Bicalho.

Segue um resuminho sobre ela: Conceição Bicalho é artista plástica, desenhista e ilustradora, com incursões em cenografia, desenho animado, escultura, entre outras atividades. Para ela, além das aulas, desenhar e escrever fazem parte das melhores escolhas em sua vida. Professora do Departamento de Desenho da Escola de Belas Artes da UFMG, participou de vários salões de artes visuais e ganhou prêmios de destaque. Pela RHJ ilustrou O julgamento do chocolate, um texto de Alexandre de Castro Gomes, e Petro bom de bola, da autora angolana Luísa Coelho.

O trabalho da Conceição ficou ótimo. As ilustrações, feitas em homenagem ao ilustrador Honoré Daumier, foram desenvolvidas em pastel a óleo e lápis aquarelado sobre papel canson francês (mi-tentes). O seu Chocolate acabou virando um simpático boneco em tamanho natural criado pelos alunos da Escola Municipal Randolfo José da Rocha, de Contagem. Ah! Para quem não sabe, ela me prestou uma homenagem e me colocou dentro do livro. Apareço duas vezes lá.

Uma coisa que a Conceição nem deve saber é o quanto eu estava nervoso no dia do lançamento do livro. Lá estava ela com a criançada, contando histórias, criando um clima e eu só preocupado em assinar os livros quietinho. Isso até o momento em que ela me passou o microfone (putz!) e disse: "Agora o Alexandre vai falar alguma coisa". Por causa de minha não aparente timidez (mas eu juro que ela existe) falei rapidinho. Os tímidos tendem a falar muito rápido.

Conceição, adorei trabalhar com você. Um beijo!

Momento gringo

Tchoo! Tchoo! Cried the literature train, torturing the turtles in my brain.

***

Condomínio dos Monstros - Resenha


Condomínio dos Monstros
de Alexandre de Castro Gomes
Resenha de Alessandra Pontes Roscoe

Dica de Leitura

Nada melhor que começar a semana dando boas risadas e se divertindo com uma história inteligente e bem humorada. Pois bem, neste clima de altíssimo astral é que indico o livro de estreia de uma dupla muito querida: Alex Gomes e Cris Alhadeff. Ele escritor ( com outros dois livros infantis já publicados), ela ilustradora ( também com outros títulos para crianças), parceiros na literatura e na vida ( são casados e têm dois filhos!), afinidade que permitiu com que acertassem a mão e criarassem um livro pra lá de encantador. Assim é Condomínio dos Monstros, publicado pela Editora RHJ, que conta a história de um condomínio bem diferente, mas repleto de confusões e brigas, só que entre monstros e bruxas. Tudo começa por conta do barulho que impede um dos moradores, a Múmia, de cair em seu sono milenar... Depois de muita briga, várias reuniões a monstrarada do Condomínio consegue garantir o sono de mil anos da Múmia, mas aí surge um outro problema: Ela ronca e muito alto! O texto é leve e as ilustrações de Cris cheias de imaginação. Em tempos de histórias de vampiros nas páginas dos livros e nas telas do cinema, Condomínio dos Monstros chega para engrossar a fileira das histórias bem contadas e para todas as idades! O final é surpreendente e muito, muito divertido! O livro mal chegou às prateleiras das livrarias e já foi selecionado para o programa Minha Biblioteca e será distribuído para mais de 6 mil alunos no Estado de SP!

26/07/10 - Blog Contos, Cantos e Encantos

Blog Contos, Cantos e Encantos da escritora e jornalista Alessandra Pontes Roscoe



Dica de Leitura


Nada melhor que começar a semana dando boas risadas e se divertindo com uma história inteligente e bem humorada. Pois bem, neste clima de altíssimo astral é que indico o livro de estreia de uma dupla muito querida: Alex Gomes e Cris Alhadeff...

Se fosse hoje...

- Estás online?
- Sim, meu senhor.
- Serei breve. Imprima tudo quando eu terminar.
- OK! :-)
- Primeiro: Amai a Deus sobre todas as coisas.

Carta da AEI-LIJ ao Ministro da Cultura

Rio de Janeiro, 18 de Julho de 2010



Ao Excelentíssimo Senhor Ministro da Cultura Juca Ferreira

Esplanada dos Ministérios, Bloco B, Brasília - DF, CEP 70068-900

Re.: Anteprojeto de lei que altera a Lei Federal 9.610/98 apresentado pelo Ministério da Cultura para consulta pública em 14/06/2010

A AEI-LIJ - Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil, entidade que representa os autores de texto e imagem que atuam no segmento de literatura infantil e juvenil vem, por meio deste documento, posicionar-se a propósito do Anteprojeto de Lei que se encontra em consulta pública e que objetiva alterar a Lei 9.610/98, que regula os direitos autorais.

Entendemos que algumas das propostas apresentadas pelo Anteprojeto, ao invés de estimular a produção de bens culturais, podem trazer sérios prejuízos à cultura brasileira e à subsistência da produção intelectual, assim como aos segmentos de mercado a ela relacionados e suas respectivas cadeias produtivas, visto que alguns dos acréscimos propostos são danosos ao exercício profissional dos criadores de obras artísticas, científicas e literárias.

Mais ainda: alguns acréscimos, visando especificar e legalizar determinadas práticas, como as apresentadas no Artigo 46, principalmente em seu parágrafo único, fornecerão, na prática, subsídio legal para a reprodução e disponibilização não autorizadas de obras integrais protegidas, sem que os titulares do direito autoral tenham uma justa contrapartida.

Algumas propostas ferem gravemente os direitos de exploração da obra por seus autores e editores, autorizando a reprodução e distribuição ao público, na íntegra, de obras protegidas utilizando-se de expressões muito amplas, capazes de abranger, praticamente, todo e qualquer tipo de utilização, sem excluir a possibilidade de exploração econômica por terceiros, ("para fins educacionais, didáticos, informativos, de pesquisa") e subjetivas ("sem prejudicar a exploração normal da obra e nem causar prejuízo injustificado aos legítimos interesses dos autores").

Estes dispositivos ferem os direitos do autor que a lei deveria defender e contrariam aquilo que é garantido pela Constituição Federal de 1988, em seu Artigo 5, inciso XXVII:

"aos autores pertence o direito exclusivo de utilização, publicação ou reprodução de suas obras, transmissível aos herdeiros pelo tempo que a lei fixar."

Ainda que reconheçamos pontos positivos, como a inclusão de um capítulo tratando especificamente da reprografia (Capítulo IX, que ainda carece de reparos), o fato é que estes possíveis avanços são neutralizados por outros dispositivos, como o já citado parágrafo único do Artigo 46. Surpreende-nos também que sejam incluídos dispositivos que reduzem as penalidades de possíveis infratores e outros que passam a penalizar os detentores de Direitos Autorais, invertendo o propósito da lei. Outro motivo de estranheza é que, apesar de o surgimento de novas tecnologias de reprodução e disseminação de obras autorais ser uma das principais alegações para as mudanças na atual Lei de Direitos Autorais, vários dos dispositivos passam ao largo destas mesmas inovações, não considerando, por exemplo, o livro eletrônico, a remuneração por download ou a impressão por demanda.

Os associados da AEI-LIJ acreditam que os livros de literatura infanto-juvenis são obras culturais indispensáveis à formação do leitor e do cidadão, e contribuem para o desenvolvimento nacional. Para garantir e expandir a produção deste gênero de obras literárias deve ser assegurado a autores e editores o retorno financeiro necessário à subsistência. Práticas como as cópias ou uso não autorizado de obras literárias (incluindo suas ilustrações), mesmo que parcialmente, sem a justa e necessária contrapartida a seus autores configuram ato danoso à produção literária. A Lei de Direitos Autorais deve ter o compromisso de garantir que autores, empresas e profissionais da área tenham o direito de sobreviver de seu trabalho. Isto deve ser proporcionado por meio da formulação de leis que sejam claras e eficientes na manutenção do direito à comercialização a preços justos e acessíveis à sociedade, ou mesmo de seu livre acesso, desde que garantida a remuneração necessária de seus autores. Sem este compromisso, a produção literária no Brasil corre o sério risco de sofrer uma perda irremediável de qualidade.

Tal como se apresenta, o Anteprojeto provocará desestímulo à produção intelectual, artística e literária no país, motivo pelo qual consideramos necessário buscar maior equilíbrio entre os direitos de quem produz e os de quem se beneficia desta produção, o que, certamente, ainda não foi alcançado no atual Anteprojeto.

Sem mais para o momento, agradecemos a atenção.

Cordialmente,


Anna Claudia Ramos           Maurício Veneza
      Presidente                  Vice-presidente

AEI-LIJ - Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil http://www.aeilij.org.br/

"Condomínio dos Monstros" vai virar peça!


Estou rindo à toa. Há algumas semanas recebi um e-mail da diretora Patricia Faloppa com a proposta de transformar o "Condomínio dos Monstros" em peça teatral. Conversamos muito, trocamos e-mails, acertamos detalhes e voilá! A história vai para o teatro! A previsão é que esteja em algum palco da zona sul do Rio em janeiro de 2011. Já existe uma equipe de profissionais super atualizados cuidando da adaptação do texto, figurinos, produção, etc. e tal. Alguns atores conhecidos já estão sendo contatados. Haverá música e dança. Teremos bruxa voando, fantasma atravessando paredes, saci, mula sem cabeça, múmia, bicho-papão e muito mais. Super cool! (como diria minha amiga Claudia)
Bem, depois darei mais detalhes. Agora é hora de comemorar! Tchuc-tsssssss!

Livros de amigos (01)

Tem sempre algum livro novo chegando em casa. Alguns são presentes, outros são comprados, e claro, alguns nascem aqui. Hoje quero escrever sobre três livros muito bacanas que descolaram um lugar na estante dos favoritos. O primeiro é um lindo texto do Zé Zuca ilustrado pela Cris Alhadeff. Chama-se "Vou contar um segredo - uma história cheia de medo". O segundo é uma história bem legal da Alessandra Pontes Roscoe, ilustrado pelo Jô Oliveira, de nome "JK, o lobo guará". O último é "Obax" do extraordinário André Neves.

Quem conhece o Zé Zuca sabe como ele é divertido. O cara comanda um programa de auditório semanal (ao vivo) na Rádio Nacional chamado "Rádio Maluca", que vai ao ar todos os sábados das onze ao meio-dia. As crianças participam do programa que tem ainda convidados ilustres, contação de histórias, brincadeiras e muita música boa. Pois não é que o Zé Zuca escreveu uma história tão divertida e ao mesmo tempo sensível, na qual uma menininha vai listando os medos que sua família tem? Medo de baratas? De Elevador? Ora essa! Na minha idéia deve ser por causa...
Recomendo o livro. As ilustrações da Cris Alhadeff são uma graça. A editora Mirabolante caprichou na produção de "Vou Contar um Segredo...". A capa laminada com verniz localizado dá um charme a mais.

A minha amiga Alessandra Pontes Roscoe lançou o "JK, o lobo guará", durante o 12º Salão da FNLIJ, no Rio de Janeiro. Quem viu a moça contando a história para as crianças do Salão, se apaixonou por essa declaração de amor a Brasília. A história, contada em versos, fala sobre o nascimento da nossa capital, visto pelos olhos de um lobo guará. Como um bicho do cerrado pode ser da cidade? Será que ele vai perder seu instinto selvagem? Para saber só lendo o livro. Ah! no final a Alessandra colocou um texto sobre a história de Brasília e algumas curiosidades. Show!
As ilustrações são do Jô Oliveira, um craque, e a publicação ficou por conta da Melhoramentos. Aliás é bom ressaltar o capricho com que a editora tratou o livro. A capa em alto relevo e as bordas arredondadas dão um toque especial!

O que mais dizer do André Neves? Que o cara é fera na ilustração, todos já sabiam. Que ele é super premiado é notícia velha. Agora que ele é também escritor, e dos bons, nem todos ainda sabem. "Obax" não é seu primeiro trabalho com texto e ilustração. Antes ele já publicara outros, como o divertido "Margarida", da editora Lê. Esse no entanto está entre os seus mais recentes lançamentos. Estive no 12º salão da FNLIJ e tive a oportunidade de conhecer o André. O cara é super gente fina e solícito toda vida. Lá conheci o livro, que ele apresentou para uma turminha de crianças curiosas. Fui correndo comprar. A história da menininha africana que inventava histórias para compensar a solidão é emocionante. A volta ao mundo no lombo do seu amigo elefante é contada de forma lúdica e colorida. Só a ilustração do elefante já vale o livro. A edição da Brinque-Book merece nota 10!

"Condomínio dos Monstros" no Minha Biblioteca

Olha que notícia boa. Meu editor me ligou ontem dizendo que o Condomínio dos Monstros foi escolhido pelo programa Minha Biblioteca para compor o kit dado aos alunos do ensino público de São Paulo. Serão distribuidos 6422 exemplares do Condomínio! Bottoms up!

A Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de São Paulo, em parceria com a Câmara Brasileira do Livro, criou em junho de 2007 o Programa Minha Biblioteca, um projeto super bacana de incentivo à leitura.

No primeiro ano, foram contemplados 275 mil estudantes da 1ª a 4ª séries do ensino público. No ano seguinte, o programa se estendeu aos alunos da 5ª a 8ª séries, totalizando mais de 520 mil estudantes. Cada um recebeu um kit com dois livros de literatura e uma maleta com espaço para mais exemplares para começar a montar sua biblioteca pessoal. A previsão é que o aluno complete a maleta ao final do curso, incluindo nela dois novos livros a cada ano.  

Segundo o site da Secretaria Municipal de Educação, "a idéia do programa Minha Biblioteca é fazer de São Paulo uma cidade de leitores. Para o secretário municipal de Educação Alexandre Schneider, o programa – inédito no país – tem um papel muito importante, que ultrapassa os muros da escola. 'O objetivo é estimular o gosto pela leitura dos nossos alunos, mas não para por aí. Nossa intenção é que o hábito se estenda também aos pais e familiares das crianças e jovens que recebem os livros'."

Show de bola, não é? Parabéns a todos os envolvidos!

Conhecimento Prático Literatura

Tenho uma amiga, Simone Pedersen, que é escritora. Ela tem quatro livros infantis com lançamentos previstos para agosto (estou na fila para comprar). A moça tem talento. E não sou só eu que penso assim, afinal a Simone escreve para jornal e revista e já ganhou um monte de prêmios em concursos literários. Bem, mas por que estou falando dela? É porque a Simone me mandou um e-mail perguntando se eu tinha lido a revista "Discutindo Literatura Especial - Literatura Infantil e Juvenil". "Ué? Não conheço. Está nas bancas?" "Alex, aqui na minha cidade tem."

Fui averiguar. Achei a "Conhecimento Prático Literatura" com o Monteiro Lobato na capa. Conheci há pouco tempo essa revista da editora Escala. Dei uma folheada e gostei, apesar de não ter comprado. Não frequento mais bancas de jornal como antigamente, a não ser para comprar figurinhas para meus filhos. No entanto fiquei curioso para ler essa publicação baseada em infanto-juvenil. Procurei em vários jornaleiros aqui do Leblon. Necas. Fui para a internet. Fucei aqui e ali e achei. Na verdade, a "Discutindo Literatura" é antecessora da "Conhecimento Prático Literatura", da mesma editora. A revista que a Simone mencionou era a de número 3 (a última nas bancas era o número 30, já com o nome Conhecimento Prático). O bicho era antigo. Ainda assim eu o quis e comprei online. Não só esse, como outros números (18 e 28).

Adorei a publicação. A revista é feita com um imenso capricho. As matérias são interessantes e bem escritas. A número 03, o especial infantil e juvenil, vem com uma análise histórica do gênero, textos sobre contos de fadas, histórias clássicas, Ilan Brenman, Maria Antonieta Cunha, Daniel Munduruku, Elisabeth Serra (secretária-geral da FNLIJ), Anna Claudia Ramos apresentando a AEI-LIJ, Rose Campos falando sobre Bartolomeu Campos de Queirós, Heloisa Prieto, Ana Maria Machado, Laurabeatriz, e muito mais.

Embora os outros números que adquiri não sejam unicamente direcionados à literatura infantil e juvenil, há também matérias bem legais que interessam a todos. O número 28 tem na capa: "Era Digital - Escritores e editores criam estratégias para aproveitar as facilidades da internet", além de "Frank R. Stockton - A literatura infanto-juvenil que estimula a inteligência". O número 18 traz: "Contos de Fadas - Versões que não renderam desenhos infantis".

Parabéns a Editora Escala pela revista bacana que é a "Conhecimento Prático Literatura".
        

Viagem Espacial Interativa - Resenha


Viagem Espacial Interativa
de Alexandre de Castro Gomes
Resenha de RHJ

“Sempre gostei de criar histórias. Minhas brincadeiras com soldadinhos e carrinhos de matchbox envolviam situações complexas e finais surpreendentes. Como toda criança, meu irmão e eu usávamos a imaginação e transformávamos o corredor da casa em pradarias para nossos cavalos e as camas em montanhas intransponíveis, chegando mesmo a criar cavernas com cobertores. Qualquer embalagem de isopor servia como nave espacial com ponte de comando e sala das máquinas. Os encostos de sofás e poltronas davam ótimas pistas para os carrinhos.” Por este depoimento, é possível entender como a mente criativa de Alexandre de Castro Gomes criou também a história do livro Viagem Espacial Interativa, recentemente lançado pela RHJ.

Ele diz que na época em que bolou o texto da Viagem, pensou em criar uma história que pudesse depois ser colocada em computador. Virar uma espécie de joguinho para crianças, no estilo Freddi Fish, onde cada coisinha que se clicasse tivesse um movimento de flash. O final seria sempre o mesmo, mas haveria opções de percurso. “Uma coisa simples que pudesse ser interessante e ao mesmo tempo educativa, que eu acabei transformando em um livro”, relata.

A ideia de usar os planetas surgiu de um papo que teve com sua esposa sobre o Planetário da Gávea. “Eu disse a ela que nunca tinha visto o tal filme na cúpula e ficamos de marcar um dia para ir até lá (o que só acabei fazendo depois que meus dois filhos já tinham idade para entender). Achei que escrever sobre planetas de uma forma lúdica seria uma ótima forma de aprendizado.”

O legal é que a quantidade de planetas e objetos do espaço encaixava-se perfeitamente com o que ele queria fazer. “Eu precisaria de X elementos e lá estavam todos eles me esperando. Se houvesse mais um ou menos um, não daria certo. Era o número ideal. Na verdade, com a controvérsia sobre Plutão, tive de adaptar para incluir os planetas-anões.” Fantástico foi o modo como Alexandre conseguiu amarrar bem toda a sua história. Ela estimula a imaginação a correr tão solta que, com um pouco menos de talento, poderia levar à dispersão dos pequenos leitores. O resultado é simplesmente imperdível!