sábado, 2 de outubro de 2021

1a. aula para a nova turma da Pós-Graduação em LIJ

Hoje foi a primeira aula da disciplina de História da Literatura Infantil e Juvenil da nova turma da pós. Foi muito bom conversar sobre Bilac, Viriato, João do Rio, Chrysantheme, Figueiredo Pimentel, Alexina e demais autores da virada dos séculos XIX-XX.

Na próxima aula mergulharemos em Lobato e em outros escritores do período e os alunos apresentarão seus livros favoritos do autor de Taubaté.

Gostei muito!




quinta-feira, 30 de setembro de 2021

IIENLIJ e I CILIJ da UERJ

Hoje (15:30) aconteceu a minha comunicação no II ENLIJ e I CILIJ da UERJ.

Segunda edição de O livro das palavras grandes e dos desenhos pequenos

"O livro das palavras grandes e dos desenhos pequenos" chegou em maio e ontem (ainda setembro) recebi uma carta da editora me informando que já será impressa a segunda edição. 

São essas pequenas alegrias que nos impulsionam.

Obrigado, Paulinas/Saberes e Letras! Obrigado, leitores!

Foto: O Ernesto deu sorte! 😉

quarta-feira, 29 de setembro de 2021

Do que os monstros gostam?


Editora: Cortez
Categoria: Infantil
ISBN: 978-65-5555-132-7
1ª edição: 2021
Encadernação: Brochura
Formato: 25x24,5 | 32 páginas
Em parceria com Jean-Claude Alphen


Você acha que só criança gosta de brincar de pique-esconde?
Que só ator gosta de interpretar personagem no cinema?
Que só gente gosta de churrasco?
Que só velhinho gosta de falar sobre o passado?
Pois saiba que você está muito enganado,
Tem monstro de tudo quanto é tipo por aí com gosto igual ao da gente, ou bastante parecido,

Quer conhecê-los? Vai ser bem divertido.

terça-feira, 28 de setembro de 2021

Chegou o segundo livro em parceria com o Jean-Claude Alphen!

Chegou! Está super bacana! "Do que os monstros gostam?", parceria minha, do Jean-claude Ramos Alphen e da Cortez Editora traz texto em cordel e monstros com os traços do franco-paulista-pai da Amora.

Feliz da vida com o meu terceiro livro nessa editora-família que tanto gosto. Espero que siga os passos dos irmãos mais velhos, que são um sucesso por lá.

Obrigado, Jean-Claude, Amir Aparecido, Miriam Cortez, Mara Cortez, Elaine Nunes e toda a equipe. Vocês são uns queridos!


segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Conhece esse livro?

Mostro aqui um pouco mais de cada livro. Capa, comentários, páginas do miolo... Futuramente incluirei mais.







terça-feira, 21 de setembro de 2021

Queremos mais livros de autoria brasileira em destaque nas livrarias!


Tristeza é um sentimento que raramente combina com livraria. Não sei se a pandemia me fez mais crítico ou se eu nunca quis enxergar o problema. Talvez os colegas autores já tenham passado por algo semelhante. Quem nunca entrou em uma livraria para procurar seu livro entre as prateleiras? Se já fez isso, sabe a dificuldade que é competir com livros de autores estrangeiros (nem sempre bestsellers, nem sempre bons livros) e autores consagrados na década de 70. As vezes encontramos algo escondido em algum canto, misturado aos outros livros para 6 anos, 8 anos, 10 anos, 12 anos (também de autores gringos)... Eu nunca me importei muito com isso. Só o fato de ter o livro na livraria já me dizia que o livro estava cumprindo a sua missão. 

Hoje, no entanto, ao visitar a Livraria da Travessa de Ipanema, percebi a ilha principal da área infantil, o espaço mais importante do setor, para onde todos os visitantes se encaminham em primeiro lugar, com 33 livros em destaque, e constatei que, desses, somente três eram de autores nacionais. Um deles de Lázaro Ramos/Lais Dias, outro de Clarice Lispector/Kammal João e o terceiro de Aryane Cararo/Duda Porto de Souza. Mais adiante, na bancada baixa de trás, encontrei um livro da dupla Tino/Odilon e outro da dupla Kiusam/Rodrigo Andrade, entre outros de autores estrangeiros.

Puxa vida! Eu conheço centenas de autores nacionais. Muitos batalhando por espaços, ganhando prêmios, com trabalhos lindíssimos, bem mais bonitos do que muitos daquela ilha. Cadê Roger Mello, Stella Maris Rezende, Nelson Cruz, Luiz Antonio Aguiar, Flávia Savary, Rosana Rios, Rogério Andrade Barbosa, Leo Cunha e tantas outras feras da nossa LIJ? Cadê os nossos livros nas livrarias?

Fui falar com a pessoa responsável pelo setor para fazer essa crítica construtiva. Para minha surpresa, ela concordou e, muito educadamente, respondeu que ali ficavam os livros com mais cópias disponíveis. Disse ainda que os livros de autores brasileiros chegam com poucas cópias, as vezes nem cinco, e por isso não estão na ilha. Fiquei com a impressão de que não era ela quem decidia quem entrava ou saía da ilha.

Ora, é a própria livraria que é responsável pela quantidade de cópias colocadas a venda, não é? 

Agradeci e me despedi, saindo dali chateado. Sei que há livreiros que indicam autores nacionais, que agregam esforços para ajudar o mercado, autores e editoras, que dão espaço para esses livros. Mas estes são poucos.

A questão é delicada. Envolve muitas partes. Envolve o que é comprado e o que é ofertado. Envolve grana.

As grandes livrarias poderiam, se quisessem, apoiar o mercado nacional dando destaque à produção nacional em suas ilhas e gôndolas. Há, é verdade, algumas prateleiras reservadas para alguns autores consagrados na década de 70, como Ruth Rocha, Ziraldo e outros medalhões. Mas as gerações que vieram depois dessa são espremidas nos fundos.

Espero um dia ver uma ilha com pelo menos 50% de livros de autores brasileiros, entre clássicos e contemporâneos. A nossa literatura infantil é uma das melhores do mundo, mas parece que alguns têm vergonha de mostrar.

#livrariadatravessa

segunda-feira, 20 de setembro de 2021

Madrugaldo - O livro das palavras grandes e dos desenhos pequenos


Indicação de "O livro das palavras grandes e dos desenhos pequenos".

E veio com uma resenha bacaninha!

Obrigado, Cristiane!

"Tudo nesse bem bolado livro é relativo! As palavras são grandes e têm vida, cor e informações. Os desenhos são pequenos, com infinitos significados. A narrativa estimula muitas leituras e a primeira é quase que de reconhecimento!

Impossível não se encantar com a criativa proposta da dupla Alexandre de Castro Gomes e Cris Alhadeff, que saiu pelo novo selo das Paulinas, Saberes e Letras!"

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Qualificado!

Hoje a banca qualificou a minha dissertação sobre os monstros na literatura infantil e juvenil brasileira! Agora é a reta final do mestrado. A pesquisa está quase pronta e já devo defender em novembro ou dezembro.

Estou muito feliz com os comentários e com o resultado! Vou tentar publicar em editora comercial quando estiver pronta.

Obrigado Regina, Bia, Tania, Flávio e Leo!

segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Livros na Árvore

Para quem ainda não sabe, tenho dois lançamentos exclusivos na Árvore de Livros, ambos pela Galerinha Record: "Cadê a cor do bicho?" e "Quem se sente diferente?"

Em breve deverão ser lançados também em papel, mas por enquanto a leitura é só no ambiente digital.

Aproveito também para mostrar outros títulos meus disponíveis na plataforma.

Boas leituras!

https://www.arvore.com.br/





sábado, 11 de setembro de 2021

A Liga no Jornal de Caruaru

Tive livro indicado no Jornal de Caruaru.

O escritor e mestre em Literatura Comparada Antônio Sampaio Dória fez uma resenha muito legal de "A Liga dos Heróis Inúteis" (FTD), livro que escrevi com meu amigo e parceiro Luiz Antonio Aguiar. Segue um trecho e o link:

Nesse livro, os heróis são adolescentes com estranhos poderes, aparentemente inúteis… E esse é um bom gancho, pois os adolescentes de fato se sentem “inúteis”, já que seus talentos ainda não podem ser totalmente aproveitados, já que não trabalham e não são independentes. Mas os talentos estão ali, em potência. [...]
Como se vê, é uma narrativa cinematográfica. E desenhos coloridos acompanham o texto. O que pode ser encarado, talvez, como estratégia: já que a cultura em que vivemos é essa, nada mais natural do que se valer dela para criar novas narrativas, e dessa forma atrair os jovens para os livros. [...]
Por tudo isso, os leitores adolescentes podem de fato gostar muito de A Liga dos Heróis Inúteis. A ideia-base do adolescente como um ser incompreendido, ainda à procura de uma identidade e de aceitação dos outros está no cerne do livro. E com essa leitura eles podem ficar aliviados: um dia serão úteis, muito úteis, para os outros e para si mesmos.

https://jornaldecaruaru.com.br/2021/09/o-livro-filme-por-antonio-sampaio-doria/

sexta-feira, 3 de setembro de 2021

Projeto gráfico de A Liga dos Heróis Inúteis

O projeto gráfico de "A liga dos heróis inúteis" é merecedor de prêmios.

Além das belas ilustrações do Sapo Lendário, as edições de arte, de Daniel Justi e Camila Catto, e de texto, de Bruna Perrella Brito, os três da FTD Educação, também ficaram o máximo!

Parabéns a todos os envolvidos nesse livro sensacional.

quinta-feira, 2 de setembro de 2021

Homenagem do CIEP Glauber Rocha

Recebi uma homenagem de aniversário muito linda dos alunos do CIEP Glauber Rocha. Pouco antes do confinamento, eu fiquei sabendo que uma turma do colégio estava estudando os meus livros e preparando exposições para apresentar a obra para todas as outras turmas. O segurança da escola chegou a tirar uma foto de uma das portas decoradas e eu mostrei aqui no ano passado. 

Pois hoje me enviaram esse filme de 38 segundos com essa homenagem que me arrepiou. 

Ah! E dá para ver outra porta (ainda decorada!).






quarta-feira, 1 de setembro de 2021

E. M. Alfredo de Paula Freitas

Carinho recebido da Profa. Adalgisa Ferreira, da E. M. Alfredo de Paula Freitas, do Irajá - RJ. 

As turmas do 5o. ano fizeram um trabalho muito legal com "Quem matou o Saci?".




sábado, 21 de agosto de 2021

Cadê a cor do bicho?


Editora: Galerinha
Categoria: Infantil
ISBN: 978-65-5981-041-3
1ª edição: 2021
Encadernação: Digital
Formato: 20,5x27,5 | 32 páginas
Ilustrações: Nina Alhadeff



O livro junta e apresenta diversos animais através de trovas escritas com muito ritmo e humor. Tem o panda, o pinguim, a vaca malhada e mais uma coleção de bichinhos descoloridos que irão alegrar os leitores de todas as idades.

Os livros em preto e branco ajudam o leitor de colo que ainda está desenvolvendo a visão. O alto contraste das imagens auxilia na percepção e captura o interesse da criança.

Quem se sente diferente?


Editora: Galerinha
Categoria: Infantil
ISBN: 978-65-5981-040-6
1ª edição: 2021
Encadernação: Digital
Formato: 20,5x27,5 | 32 páginas
Ilustrações: Guigo Alhadeff



Como nos sentimos quando alguém pega o nosso brinquedo favorito? Coragem? Preguiça? Saudade? O que nos dá raiva? O que amamos? É só abrir a página para saber. A ideia aqui é ajudar a criança a compreender seus próprios sentimentos através de ilustrações divertidas e de um texto recheado de poesia.

Os livros em preto e branco ajudam o leitor de colo que ainda está desenvolvendo a visão. O alto contraste das imagens auxilia na percepção e captura o interesse da criança.

quinta-feira, 19 de agosto de 2021

Lançamentos Galerinha Record

O que dizer do meu orgulho nesse lançamento em família? Um dos livros foi ilustrado pelo meu filho Guigo e outro pela minha filha Nina. Embora os livros sejam em versos, estou todo prosa (infame, eu sei, mas não pude evitar).

O lançamento é da versão digital, mas a versão impressa não tardará.

Obrigado, Record, Rafa e Cristiane Oliveira ! Vamos em frente!




Nova turma de pós aberta!

Nova turma de pós-graduação aberta! Já se inscreveu?







segunda-feira, 16 de agosto de 2021

Bate-papo com alunos do Colégio Jatobá

Hoje a Cris Alhadeff e eu participamos de uma conversa muito bacana sobre os livros "Quem matou o Saci?" e "Procura-se o Curupira", ambos da editora Escarlate, com alunos do Colégio Jatobá. Gostamos tanto do papo que passamos da hora da aula.