Debate na Unigranrio

No sábado que vem estarei na Universidade Unigranrio com uma turma super antenada para falar sobre Direitos Autorais, Anuário AEILIJ e os processos da escrita e da ilustração.

Dia 28/02, às 10h, na sala 314 L na Pós-Graduação em Literatura Infantil e Juvenil - Unigranrio Já - Campus I - Duque de Caxias.


Work now!


O mais importante


O mais importante é a história. Sempre!

"Dizia Armando Discépolo, nosso autor guia: 'alguns autores escrevem difícil porque é más fácil', turvam a água, digamos, para que não se note a falta de profundidade."

- Mauricio Kartun -

Curso de roteiro de série de TV


Na CAL, com o diploma na mão, depois de terminar o curso de roteiro de série de TV ministrado pela super Marcia Zanelatto.

Aprendi muito. Recomendo!

Motim das Letras na Freeway


Motim das Letras (com ilustras de Luiz Maia - Editora Globinho) é destaque na Revista FreeWay do Rio Grande do Sul. A publicação, editada pela Di Primio, é distribuída aos motoristas que passam pelos postos de pedágio da Concepa.

Sua tiragem é de 50 mil exemplares, a maior tiragem de uma revista no sul.

A FreeWay está também disponível online no Issuu. 

Segue o link:

29/01 - ABCD Maior

É bom receber o carinho da Penélope Martins em uma matéria sobre o Anuário 2015 da AEILIJ no jornal ABCD Maior de São Bernardo do Campo - SP.

Ah! E tem destaque para o Folclore de Chuteiras!

http://www.abcdmaior.com.br/noticia_exibir.php?noticia=64468

O livro é...


Estou na campanha "O livro é" do Instituto Brasil Leitor. São várias frases de um monte de gente bacana.

Para conhecer o trabalho super maneiro do IBL, visite o site http://www.brasilleitor.org.br/.

Ah! A leitura!

A leitura é um ato intimista. Isso é bom porque você entra dentro da história. Participa dela. Sente o frescor da brisa, o suor que escorre com a caminhada, a tensão da briga, a gratidão por quem ajudou seu personagem favorito... Na leitura você pode ser o rei, o mago, a heroína, o bandido...

Já no filme os personagens tem uma cara e, a menos que você seja o ator da fita, nenhuma delas é a sua. É uma história contada sem a sua participação. Portanto, sem cumplicidade. É legal também, mas a sensação é outra.

Leia um livro e viva uma emoção diferente!