Livros que me criaram (2)

No ano passado eu listei aqui 3 manuais que eu adorava. Hoje quero falar sobre as duas coleções juvenis que mais me fizeram ir às livrarias e que foram de tremenda importância para que eu me firmasse como leitor. São livros da década de 70, escritos pelos brilhantes Stella Carr e Hélio do Soveral. Li esses livros pelo menos umas quatro ou cinco vezes cada um. Amava os temas, os personagens, a aventura e o mistério que povoava as histórias dos Irmãos Encrenca e de A Turma do Posto Quatro. Até hoje estão entre meus favoritos de todos os tempos.

Como já disse antes, "...são autores que me transformaram em quem eu sou. Porque as histórias nos criam, nos transformam. Aprendemos lições. Construímos nossa moral. Eu me diverti muito com esses livros e espero que vocês se divirtam também."

Vou começar pela coleção menor, a dos Irmãos Encrenca, livros de Stella Carr (1932-2008) publicados pela Pioneira, entre 77 e 86, depois reeditados pela Scipione com novas ilustrações. Marco, Eloís e Isabel são 3 irmãos que, sem intenção, acabam sendo jogados em tremendas aventuras, complôs e mistérios por onde quer que andem. Já se envolveram com acidentes na Fórmula Um, armações em jogos de futebol, sociedades secretas - Maçonaria e a Bucha Paulista, entre outras confusões.


A narrativa é dinâmica, com muito diálogo, e deixa pistas para a solução dos mistérios. O texto carrega humor e é bem divertido de ler. Os títulos são sedutores, as histórias são bem boladas e os finais surpreendentes.

A coleção tem 9 livros, sendo que em dois deles os personagens principais são outros. "O Caso do Sabotador de Angra" tem o foco em Tic-Tac e Acetato, dois meninos de rua. Já o último, "O Enigma das Letras Verdes", tem o adolescente Tilton Risley como protagonista. Eu, particularmente, gosto mais dos livros dos três irmãos.

Segue a relação:

O caso da estranha fotografia, 1977 (ilus. de Marcus Sant'anna)
O enigma do autódromo de Interlagos, 1977 (ilus. de Marcus Sant'anna)
O incrível roubo da loteca, 1978 (ilus. de Marcus Sant'anna)
O fantástico homem do metrô, 1979 (ilus. de Marcus Sant'anna)
O caso do sabotador de Angra, 1980 (ilus. de Marcus Sant'anna)
O segredo do Museu Imperial, 1981 (ilus. de Rogério Nunes Borges)
O esqueleto atrás da porta, 1982 (ilus. de Roberta Masciarelli)
O enigma das letras verdes, 1985 (ilus. de Rhadamés Sant'anna)
Estranhas luzes no bosque, 1986 (ilus. de Carlos da Cunha e Jairo Porfírio)


A segunda coleção é A Turma do Posto Quatro, sobre meninos detetives que moram em Copacabana, três deles no mesmo prédio e dois em ruas vizinhas. Gosto tanto desses livros que tenho medo de me alongar demais nesse post. Bem, mas vamos lá.

O grupo é formado pelos personagens Lula (que narra os livros), Cidinha, Príncipe, Carlão e Pavio Apagado. Todo final de semana, eles se reúnem para votar qual a Operação (ou crime, mistério, etc) que será investigada. Operação essa muitas vezes realizada fora do Rio de Janeiro. Aliás, foi com essa coleção que eu conheci grande parte do Brasil.


As histórias são divertidas, verdadeiros romances policiais escritos em primeira pessoa, os personagens bem definidos, as situações são muitas vezes cômicas e o texto carrega um lado didático muito interessante, além de gírias da época, tais como patota, barra-limpa, macetes e outros.

A coleção é de 35 livros de bolso (relação aqui), dos quais 20 tenho até hoje, publicados pela Ediouro entre 1973 e 1979. Um dos meus favoritos é o "Operação Torre de Babel", no qual eles tem que resolver um crime ocorrido no próprio prédio onde moram para salvar a pele do porteiro, pai de Pavio Apagado.

Hélio do Soveral, o autor, era um radialista e escritor infanto-juvenil que nasceu em 1918 em Portugal, viveu no Brasil e morreu atropelado por uma moto aos 82 anos, em 2001, em Brasília. Ele assinava essa coleção com o pseudônimo de Luiz de Santiago. É autor também de outras coleções, como Os Seis, Missão Perigosa e Chereta.

O menino que coleciona guarda-chuvas


Editora: Globo Livros
Categoria: Infantil
ISBN: 978-85-250-5123-3
1ª edição: 2012
Encadernação: Brochura
Formato: 23 x 23 | 40 páginas
Ilustrações: Bruna Assis Brasil

• Um dos oito títulos selecionados para o programa "Minha Primeira Biblioteca" (2014) da Prefeitura do Rio de Janeiro.

Chico é um garoto que tem uma coleção enorme de guarda-chuvas, de todos os modelos, tamanhos, tipos e cores. Nos seus aniversários, nenhum convidado tem dúvida na hora de comprar o presente: Chico sempre quer um guarda-chuva novo. Com tanta opção de brinquedos, livros e jogos, por que será que ele sempre quer a mesma coisa? Será falta de imaginação? Nada disso, ao contrário. Ele gosta de guarda-chuvas porque eles podem se transformar em qualquer coisa, ao sabor de sua infinita criatividade.
Em O menino que coleciona guarda-chuvas, o leitor descobre que para se divertir não é preciso ter brinquedos sofisticados, brincando com bom humor e imaginação até um guarda-chuva pode se transformar em um objeto superlegal. Em seu primeiro título lançado pela Globo Livros, o autor Alexandre de Castro Gomes brinca em versos com os variados usos que Chico atribui aos seus guarda-chuvas. A ilustrações de Bruna Assis Brasil deixam o livro ainda mais fascinante e gracioso.

Dicas para escrever melhor

A página Dicas Diárias de Português, hospedada no Facebook, compartilhou esse texto muito útil e divertido. Afinal, lembrar nunca é demais.

"O Julgamento do Chocolate" em Portugal


Volta e meia o Alerta do Google me traz uma notícia boa. Essa veio do outro lado do Atlântico e sussurrou alegria no meu ouvido - nesse caso nos olhos, já que li.

A Biblioteca Pública Municipal de Brandão, da cidade de Tábua em Portugal, apresentará no próximo dia 23 de Março, às 21:30h, a peça de teatro “O Julgamento do Chocolate”, pelas oficinas de teatro II e III. O espetáculo faz parte da comemoração do Dia Mundial do Teatro, que ocorre no dia 27.

Estou muito orgulhoso. Agradeço aos organizadores, jovens atores e todos os envolvidos. Como dizem por aí, quebrem a perna!

Biblioteca do Congresso dos EUA quer publicações de Ponta Grossa

Que bacana! O Tesouro do Lagarto de Fogo, texto meu que no ano passado ganhou o primeiro lugar no Concurso Literário Nacional de Ponta Grossa, categoria infanto-juvenil/leitores críticos, e que, por isso, virou livro editado pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, vai para os Estados Unidos!
Segue a notícia publicada no portal da Prefeitura de Ponta Grossa:

Biblioteca do Congresso dos EUA quer publicações de Ponta Grossa
Enviado por Patrícia Antunes, 9 março, 2012 - 16:39

O trabalho de incentivo a produção literária de artistas locais, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, tem chamado atenção internacional. Esta semana, foi enviada a Mansão Vila Hilda, sede da secretaria, uma correspondência da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos – Library of Congress – demonstrando “grande interesse” nas publicações da instituição.

O documento, assinado pela diretora Debra Mckern, solicita um exemplar dos livros dos Concursos de Literatura e de outras publicações da Prefeitura de Ponta Grossa. “Apreciaríamos receber a obra mencionada abaixo e outras que porventura tenham sido editadas recentemente, a fim de encaminhá-las à sede da Biblioteca, em Washington, DC”, diz a correspondência. De acordo com a secretaria Elizabeth Schmidt, a solicitação será atendida imediatamente. “Estamos muito honrados com o reconhecimento da seriedade do nosso trabalho, e quem sai ganhando são os artistas da nossa cidade que terão suas obras conhecidas internacionalmente”, comemora a secretária.

Em Ponta Grossa, no setor de literatura há concursos de Contos, de Crônicas, de Poesias e também de Literatura Infanto-Juvenil, de Ilustradores dos Livros Infanto-Juvenis, de Histórias em Quadrinhos, de Biografias e de Pesquisa Histórica. Anualmente, a Secretaria de Cultura abre edital de concursos destinados a artistas e escritores da cidade com o objetivo de estimular a produção em todos os segmentos artístico-culturais na cidade. “Dessa forma, novos talentos são descobertos, valorizados e projetados, fomentando diversos segmentos artístico-culturais de Ponta Grossa”, destaca Elizabeth.

Viagem Mundial Interativa


Editora: RHJ
Categoria: Infantojuvenil
ISBN: 978-85-7153-292-2
1ª edição: 2012
Encadernação: Brochura
Formato: 18 x 23 | 68 páginas
Ilustrações: Cláudio Martins

Dessa vez nossos amigos resolveram viajar ao redor do mundo em um pequeno avião de blocos de montar.
Os três vão dançar o vira em Portugal, tomar um banho turco em Istambul, fazer um safári no Quênia, visitar templos astecas, passear na famosa roda gigante de Londres, brincar com cangurus na Austrália e provar um pouco da comida típica de cada um dos 14 países visitados. Acompanhem Guilherme, João e Valentina por essa viagem aonde você mesmo escolhe o caminho a seguir, podendo contar uma história de várias formas diferentes.