sexta-feira, 29 de maio de 2020

Motim das Letras no Minha Primeira Biblioteca de Bragança Paulista

Consigo ver o "Motim das Letras" (Globinho) na mesa. :-)

"Estão sendo distribuídos cerca de 30 mil exemplares de livros paradidáticos, divididos em 17 títulos distintos e separados em kits, que atenderão estudantes do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental. São diversas obras da literatura infantil de autores como Monteiro Lobato, Ziraldo e Alexandre de Castro Gomes, que devem estimular a leitura nos pequenos, principalmente neste momento que todos os alunos tiveram suas aulas interrompidas e estão em suas casas, por conta da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19)."

https://braganca.sp.gov.br/noticias/kit-de-livros-do-projeto-minha-primeira-biblioteca-estao-sendo-distribuidos-?fbclid=IwAR0RIHUU1czZcQWmigkOib9C7UX-whpxZxGpFzE7gQuhTA6CWwJV-a2HIf0


quinta-feira, 28 de maio de 2020

Pesquisa de Revistas Recreio, O Tico-Tico e Diversões

Tarde de pesquisa de literatura infantil em revistas do século passado, que guardo aqui em casa. Tenho mais algumas Recreios que não estão na foto.
Dá vontade de criar uma revista nova de tão bom que é!


quarta-feira, 27 de maio de 2020

Pós-Graduação em LIJ da UCAM

Se você pretende entrar no mercado literário, se quer aumentar seus conhecimentos e receber o título de especialista, ou se deseja mergulhar nesse universo de histórias, com a orientação privilegiada de quem entende muito, se inscreva nessa pós!
A Pós-graduação de Literatura Infantil e Juvenil da UCAM (Universidade Cândido Mendes - RJ) pode ser presencial ou pode ser na modalidade à distância, você decide! Dê só uma olhada no Corpo Docente. Aposto que já conhece vários nomes dessa equipe. Eu sou um deles!

INSCRIÇÔES ABERTAS!!!
PÓS-GRADUAÇÃO EM LITERATURA INFANTIL E JUVENIL - UCAM - Ensino a distância.
COORDENAÇÃO: PROFESSORA DOUTORA CINTIA BARRETO

As inscrições podem ser feitas para a Pós a distância (EAD), para cursar online enquanto não retornamos à modalidade presencial. Depois, quem quiser poderá terminar o curso via aulas presenciais ou continuar com as aulas digitais.

Para mais informações e matrículas,fale com a Coordenação: (21) 989856232 (Cintia Barreto)


sábado, 23 de maio de 2020

Maria Justina e as Histórias do Arco da Velha

Gosto das pequenas surpresas da vida. Há algum tempo, comprei o livro Histórias do Arco da Velha, do Viriato Padilha, pseudônimo do jornalista Annibal Mascarenhas. É um livro que fez muito sucesso na época em que foi lançado originalmente, em 1887, ou seja, três anos depois do Contos da Carochinha, do Figueiredo Pimentel. Assim como seu antecessor, também trazia contos dos Grimm, Perrault e Andersen, mas incluia ainda alguns contos de tradição oral que não estão no do Pimentel.
Consegui uma edição de 1938 e guardei na estante para ler depois. Há alguns dias, ao preparar a minha aula da pós em LIJ da UCAM, peguei o livro para ler. Eis que descubro dois presentes que vieram escondidos. Um poeminha muito divertido da menina Maria Justina Campinho Pereira, ex-proprietária do livro, e um folheto do cinema Pirajá, de décadas atrás.
Quis compartilhar com vocês. 




AMONCA: Associação de Monstros Caseiros

Editora: Biruta
Categoria: Infantil
ISBN: 978-85-7848-250-3
1ª edição: 2020
Encadernação: Brochura
Formato: 23x26 | 56 páginas
Ilustrações: Estúdio Open the Door / Luciano Lagares


Eles estão preocupados...
Há um assunto urgente a ser tratado: as crianças deixaram de acreditar nos monstros!
Você já ouviu falar da Associação de Monstros Caseiros? Essa é sua chance de participar da reunião da AMONCA e conhecer de perto o Maumauro, a Lilixeira e os outros associados.
O que será que eles vão aprontar?

Clique aqui para fazer o download do jogo Monstruelo: O duelo de monstros.

quinta-feira, 21 de maio de 2020

Live para a Editora do Brasil, com mediação da Penélope Martins

No dia 21 (quinta-feira), às 10:30, conversei com a Penélope Martins, em uma live da Editora do Brasil, por onde publiquei os livros "Eu sou uma lagartixa!", "Encontros folclóricos de Benito Folgaça" e "Origens". Falamos sobre leituras, sobre os livros que tenho na editora, sobre a relação entre autores de texto e de imagem...
Bem bom!






quarta-feira, 20 de maio de 2020

Live com o grupo de pesquisa ENLIJ/UERJ

A live do dia 20/05, com a ENLIJ/UERJ, foi super bacana! Dá para ver nos prints o quanto a gente se divertiu. Adorei!

Quanto ao vídeo, quem não assistiu pode acessá-lo no insta @enlij.oficial e neste link do Youtube:

Participei da live Encontro com o Autor, mediado pela Cláudia Marapodi e promovido pelo ENLIJ/UERJ. Conversamos sobre o meu trabalho e obra e sobre o que ainda vem por aí.

Viva a LIJ!






@fafaconta AMONCA!

Novidade MONSTRUOSAMENTE importante!

AMONCA: Associação de Monstros Caseiros

Tem livro meu novo no pedaço, e vem com um super brinde da Editora Biruta: Um duelo de monstros! Um Monstruelo para download no site da editora!
Quer mais? Tá bom! Amanhã a história será apresentada no instagram da Fafá conta - Contadora de histórias, às 10:30!
Não dá pra perder!
E para entrar no clima, apresentamos: o grande, único, o... HINO DA AMONCA!

Salve a AMONCA
e seus monstros de valor.
Nossa farronca
é demonstração de amor.

Uma vida longa
a quem causar horror.
A barriga ronca
e não é por couve-flor.

Pra não ter bronca
faça a todos um favor.
Sua tromba, monca
e espalhe o terror!


https://www.instagram.com/fafaconta

Em tempo: AMONCA estreou em grande estilo! A super @fafaconta passou a mensagem dos monstros para quase 200 leitores. Seis dias depois o vídeo no Youtube já tem mais de 2100 visualizações. Foi muito bacana! Virei fã dessa moça!





Agenda de Lives da semana




terça-feira, 19 de maio de 2020

Reunião virtual do corpo docente da pós

Reunião virtual do corpo docente da pós-graduação em Literatura Infantil e Juvenil da UCAM.


CIEP Glauber Rocha

Olha que legal! A professora Edilza, do CIEP Glauber Rocha, pediu ao segurança da escola para tirar uma foto de uma das portas que foi decorada pouco antes do confinamento. As turmas do quarto ano estavam estudando meus livros e preparando exposições para apresentarem para toda a escola.
Um projeto lindo que espero poder conhecer de perto assim que isso tudo acabar.
Agradeço à escola, aos alunos e professores e à escritora Mônica Martins, que foi quem me indicou.


segunda-feira, 4 de maio de 2020

Os drones do dia seguinte

Texto inspirado pela querida amiga Rosana Rios, que escreveu um conto superbacana sobre o fim da pandemia. A Rosana juntou uma turma de autores talentosos e editou a antologia "Depois da quarentena", com contos, poemas e crônicas de trinta autores de literatura. O livro está a venda por R$4,99 na Amazon. Infelizmente não cheguei a ver a chamada para a publicação. De qualquer forma, está aqui para quem quiser ler. A veia criativa ainda pulsa no confinamento! Espero que gostem!

***

Os drones do dia seguinte
Alexandre de Castro Gomes


As janelas davam para uma área de fundos, comum aos prédios de apartamentos do entorno. Lá embaixo, um playground abandonado, onde as crianças e os cães costumavam a correr antes da pandemia. Não havia barulho de trânsito ou burburinho de rua. Não se ouviam os cantos e chamados da natureza. Um silêncio que só era quebrado de vez em quando pelo zumbido dos drones que entregavam produtos de janela em janela.

- Odete! Ô, Odete! Chega aí!

Odete pôs a cabeça platinada pra fora da janela do quarto andar do prédio de pastilhas azuis, para o alívio de Madalena, sua vizinha de frente. Ou de fundos, isso não importa.

- Sua internet caiu? – perguntou a mais jovem. - Aqui caiu hoje de manhã cedo. Logo depois que anunciaram o fim da pandemia. Gentes do mundo inteiro comemoravam quando perdemos a conexão.

- Menina, então é isso! Eu quase não uso essas coisas modernas, mas sempre gostei de assistir ao jornal, pra saber das notícias. Sabe que hoje não teve? Os canais só estão passando desenhos e filmes velhos. Deve ser por causa da tal internet que caiu, né?

- O Jaime se arrumou todo pra sair. Não levou nem máscara, como quando sair ainda era permitido! Isso já tem horas! O Pedrinho desceu com ele. O moleque estava doido para andar de bicicleta – Madalena estava angustiada. – Pior que ninguém atende ao celular.

- Será que estão comemorando até agora?

- Pois foi o que pensei. Quase fui atrás, mas fiquei por causa do meu joelho. Esse tempo sem fisioterapia me ferrou toda.

As duas olharam para o playground abaixo. Não havia ninguém. Algum apartamento distante tocava “Pneumonia blues”, do Big Bill Broonzy.

I keep on aching! Yeah! I ache both night and day! Yeah! Doctor, doctor, please drive this old pneumonia away!

- Ô, Madalena. Se não há mais vírus, por que está tudo tão quieto?

- É isso que está me deixando preocupada. Estou sem comer desde que eles saíram.

- Fica assim não, amiga! Devem estar por aí. Afinal já tem quanto tempo que estamos presos em casa? Um ano? Dois? Já até perdi a conta!

Dzum! Dzum! Dzum! Dzum! Dzum! Dzum! Dzum! Dzum! Dzum! Dzum!

Um drone pairou no ar entre as duas amigas. Ele carregava uma pesada sacola com comidas e bebidas. No centro da parte inferior do aparelho havia uma meia esfera negra de onde brilhavam dezenas de luzinhas amareladas, que se moviam indiscriminadamente.

- Senhora Odete! Sua cota de alimentos! – a voz metálica veio do aparelho. - Uma nova entrega ocorrerá em sete dias!

O drone se aproximou da janela do prédio de pastilhas azuis e soltou a sacola nas mãos da mulher.

- Obrigada pela gentileza, seu treco que voa!

- Não por isso! Nossa única função é servir, haja chuva, sol quente ou qualquer outra eventualidade. Fique em casa e cuide-se!

O objeto ganhou altura, desviando-se de outros cinco ou seis drones que faziam entregas mais acima, e desapareceu na distância.

- Ainda bem que inventaram os drones – comentou Odete logo que pousou a sacola no chão. – Não fossem eles, ainda estaríamos enfrentando filas com infectados.

Madalena esticava o pescoço para ver se enxergava a calçada, na lateral do seu prédio, tentando localizar seu marido ou seu filho na bicicleta.

- Fica assim não, Madá! Vai por mim que eles devem estar aproveitando alguma festa de rua. Daqui a pouco eles voltam.

- Tá... – Madalena mirou o relógio. – Você deve ter razão. Daqui a pouco começa a novela e eu ainda preciso ligar para a minha fisioterapeuta.

- Está bem, querida. Vou lá fazer o jantar. Beijinho!

Depois que as duas mulheres entraram, um sanhaço verde pousou na janela de Odete, em busca de alguma migalha de comida. Não encontrou nada e piou de zanga.

Piu!

As luzinhas amareladas da meia esfera de um drone, que passava acima, se juntaram em uma grande luz rubra e acionaram um raio que atingiu o pobre passarinho, desintegrando-o assim que ele levantou vôo.