Festa do Calendário

Editora: RHJ
Categoria: Infantojuvenil
ISBN: 978-85-7153-251-9
1ª edição: 2011
Encadernação: Grampo
Formato: 18 x 23 | 44 páginas
Ilustrações: Cris Alhadeff

• Selecionado para o pregão da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza para compor as bibliotecas móveis nas salas de aulas do Ensino Fundamental.

Essa é uma festa animada e você está convidado para participar. Os outros convidados? Você já os conhece de longa data.
Ilustrado com belíssimas e coloridas imagens, esse texto nos traz, de maneira bastante inusitada, uma festa, na qual o autor propõe um interessante diálogo, personificando os dias da semana e os meses, e chamando a atenção para as principais datas comemorativas.
A recriação dos motivos e do sentido das comemorações é uma das possibilidades dada ao leitor, promovendo nosso calendário de forma festiva.
***
Vocês sabiam que a Quinta-feira é apaixonada pelo Sábado? Só fala nele a toda hora. E por que Março é tão emotivo?
O novo diretor da empresa conhece seus novos comandados na festa de fim de ano do lugar. Ele é apresentado a Sexta-feira, uma ótima funcionária, mas que gosta de sair mais cedo do trabalho, Fevereiro, um baixinho que tem a mania de usar fantasias, Domingo, um cara super família, que anda com as fotos dos filhos na carteira, Segunda-feira, a funcionária deprimida, Outubro, o crianção da turma, e a vários outros empregados da Calendário S/A.


Trem de Histórias - a primeira antologia da AEILIJ

Tchan, tchan, tchan, tchaaan! Apresento agora, em primeira mão, a CAPA da primeira antologia da AEILIJ, criada sobre uma linda xilogravura da Nireuda Longobardi.

Trem de Histórias traz 20 textos e 20 ilustrações de 37 autores aeilijianos, que se uniram para realizar esse trabalho em prol da nossa querida Associação. Um esforço coletivo que tive o PRIVILÉGIO de gerenciar! Quem é que não gosta de lidar com tanta gente talentosa, não é? Um time de primeira!

O livro, direcionado ao público infanto-juvenil, contém contos, crônicas e poesias relacionados a trens, bondes e outros veículos que rodam sobre trilhos. A apresentação é da Anna Claudia Ramos.

Meu conto, Tem uma barata no trem!, está lá, junto com Trem dos unicórnios, de Zé Zuca, Resgate, de Alina Perlman, Minha primeira viagem de trem, de Rosana Rios, A noite dos cometas, de Adriano Messias, O condutor, de Simone Pedersen, Esse trem que me falta na lembrança, de Luiz Antonio Aguiar... é melhor eu parar por aqui, senão essa postagem vai ficar looonga. Só tem fera na parada! Somos autores do Rio, São Paulo, Minas Gerais, Brasília, Paraná, Rio Grande do Sul, Pernambuco, e até de Cabo Verde, na África!

Os ilustradores, entre eles Fabiana Salomão, Laz Muniz, Mauricio Veneza, Márcia Széliga, Sandra Ronca, JP Veiga, Cris Alhadeff (que ilustrou uma crônica da Eliana Martins) e outros craques das cores, abusaram da criatividade e  contribuíram com ilustrações em nanquim, xilogravura, computador, lápis de cor, aquarela, spray, canetinhas, técnicas mistas... O livro está bom demais!

Trem de Histórias sairá em junho pela Caki Books (http://www.cakibooks.com.br/) e poderá ser comprado através do site da editora, e nas lojas Gato Sabido e Amazon, nos formatos e-book e impresso com capa dura! 

Eis os aeilijianos responsáveis pelo sucesso do projeto:
Adriano Messias - Alessandra Pontes Roscoe - Alexandre de Castro Gomes - Alina Perlman - Ana Cristina Melo - Angela Leite de Souza - Anielizabeth - Antonio Nunes (Tonton) - Bia Salgueiro - Carla Pilla - Claudia Gomes - Cris Alhadeff - Danilo Marques - Eliana Martins - Fabiana Salomão - Felipe Vellozo - JP Veiga - Kika Freyre - Laz Muniz - Luiz Antonio Aguiar - Marcelo Queiroz - Márcia Széliga - Marilza Conceição - Mauricio Veneza - Monika Papescu - Naná Martins - Nilza Azzi - Nireuda Longobardi - Regina Gulla - Roney Bunn - Rosana Rios - Sandra Ronca - Sandro Dinarte - Simone Bibian - Simone Pedersen - Soraia Ljubtschenko Motta - Zé Zuca

O AUTOR EXISTE!

Dessa vez coloquei o título inteiro em maiúsculas para simular um grito. Está na hora de berrar contra quem quer tirar do autor o poder de decidir o que fazer com sua obra. Ou contra aqueles que querem nos obrigar a ceder nosso trabalho gratuitamente para que provedores de conteúdo lucrem enquanto ficamos a ver navios.

Pela primeira vez, desde que começou a absurda história de sociabilizar o trabalho alheio a troco de nada, vejo um movimento forte, com pessoas importantes e influentes, dispostas a lutar contra a covardia que está sendo orquestrada por gente que busca holofotes políticos, com a desculpa de estar defendendo o interesse coletivo.

Junte-se a nós e assine a lista em prol do autor e a favor da cultura. Chegou "O Autor Existe"! Basta acessar o site www.oautorexiste.com.br e enviar um e-mail com seu nome.

FLIST - Fotos do debate "Livro Impresso x Livro Digital"

A Cris Alhadeff e eu fomos assistir ao debate entre JP Veiga (defensor do livro digital) e Maurício Veneza (defensor do livro impresso), mediado pela Sandra Pina, ontem na FLIST - Feira Literária de Santa Teresa. A plateia, formada por autores, ilustradores, editores e interessados, aplaudiu os debatedores e participou com perguntas relativas à questão do livro digital. No final, todos reconheceram que o e-book veio para ficar, mas que o livro impresso ainda tem fôlego para muitos anos de vida. Afinal a televisão não matou o rádio, não é mesmo?

Perguntei sobre a questão da pirataria digital e todos concordaram que é necessário remunerar o autor e evitar a volta do mecenato. Para isso o direito autoral é fundamental. 

JP Veiga, Cris Alhadeff, eu, Maurício Veneza, Anielizabeth, Rogério Andrade Barbosa e Sandra Pina - autores da AEI-LIJ posam para a foto antes do início do debate.

Sandra inicia o debate.

Gabriel sorteia a ordem.

JP começa a defesa do livro digital.

JP mostra um e-book em um iPad.

Maurício Veneza denfende o livro impresso.

O debate é gravado.

Lançamento do livro "Festa do Calendário" no 13º Salão FNLIJ

Estou feliz da vida! Festa do Calendário, meu quarto livro pela editora RHJ, já tem data de lançamento. Será no dia 08 de junho às 14hs, no Espaço FNLIJ de Leitura do 13º Salão FNLIJ do livro para crianças e jovens.


Esse ano o Salão do livro ocorrerá entre os dias 06 e 17 de junho no Centro de Convenções SulAmérica, na esquina da Av. Paulo de Frontim com a Av. Presidente Vargas, pertinho do metrô do Estácio. Clique aqui para ver toda a programação.

Estarei lá com a Cris Alhadeff para falar um pouco dessa história engraçada. Vocês sabiam que a Quinta-feira é apaixonada pelo Sábado? Só fala nele a toda hora. E por que Março é tão emotivo?

Vejo vocês no Salão!

CartaAlerta sobre o Ministério da Cultura e Artes do Brasil

A jornalista Suely Pinheiro postou no Portal Macunaima (http://portalmacunaima.ning.com/forum/topics/cartaalerta-sobre-o-ministerio) uma carta alerta em resposta à carta aberta à Presidente Dilma criada pelo Movimento Mobiliza Cultura. Suely pede que os artistas, escritores, criadores e simpatizantes assinem a missiva em apoio à atual gestão do MINC. Eu já pedi a inclusão da minha assinatura e peço que todos façam o mesmo

O Mobiliza Cultura alega que a Ministra da Cultura, Ana de Hollanda, está barrando o novo texto de lei dos Direitos Autorais, redigido pelas gestões anteriores, "fruto de extenso processo de consultas públicas, ...ignorando as manifestações recebidas durante 6 anos de debates... reuniões... seminários" etc.

Pois bem, falemos sobre isso. Quem debateu? Quem foi consultado? Alguém aí foi chamado para uma dessas reuniões? Eu não fui. Sei que a AEI-LIJ não foi. Não conheço nenhum colega escritor que tenha ido. E sabem por que? Porque não houve debate. Colocaram a águia e o abutre para decidir se o coelho deve ser comido. Êi! Isso é debate? O coelho não deveria participar da conversa?

O que houve foi a colocação da lei para consulta pública por alguns poucos meses. Lendo os comentários que estavam no ar, pude constatar grande descontentamento de autores e criadores de cultura em geral. O que a Ministra fez? Ouviu quem se manifestou durante a Consulta Pública e tentou chegar a um acordo que fosse favorável a todos. Isso é ser democrático. Isso é o certo. O que os usurpadores da obra alheia querem? Eles querem o texto antigo de volta, sem debate. Aparecem vários politiquinhos em busca de votos para defender o download gratuito. Para ganhar pontos com o povão desinformado e a garotada ligada na internet. Surgem supostos artistas que desejam o acesso livre a qualquer conteúdo. Gente que quer "samplear" obras alheias sem ter que pedir e nem dar satisfações. Todos esses recebem o apoio das grandes empresas de comunicação, para quem o conteúdo livre não seria nada mal. Filmes piratas para todos! Vamos gravar as peças de teatro e colocar na internet, assim ninguém mais precisará ir ao teatro! Todos os canais de TV poderão passar qualquer filme e dizer que é educativo! Vão tranformar nossas histórias em mini-séries e ganhar uma grana com anunciantes. Vão poupar um bocado com isso e encher ainda mais os cofres de dinheiro para poder montar espetáculos de grande interesse cultural, como os Big Brothers da vida. E quem criou tudo isso? Ficará nas mão deles, que de vez em quando jogarão algumas migalhas para os criadores. É a volta do mecenato!

O site do Movimento Mobiliza Cultura tem o mesmo layout do site do Ministério da Cultura. Mesmas cores, mesma disposição de imagens, mesma fonte utilizada... Por que isso? Para ludibriar e enganar o internauta? Para pensarem que esse é um movimento oficial, de dentro do Ministério? Má fé, não é? Um site pirata, que tem entre seus signatários, um sujeito que representa o Partido Pirata do Brasil.

Uma das imagens usadas no site é da Sandra Ronca, amiga ilustradora, escritora e também associada da AEI-LIJ, entidade que apoia a Ministra Ana de Hollanda. NINGUÉM pediu a permissão da Sandra para usar a imagem dela. Está lá. Na maior cara de pau. E alguém se assume como responsável pelo site? Ora, é claro que não! Por que fariam isso? Cadê a coragem? O sujeito escreve uma carta aberta para a Presidente, rouba imagens e pirateia o layout de um site e depois se esconde. Dá para levar isso a sério? Isso é o que chamam de debate?

Segue imagem do site desse "movimento" com a ilustração roubada da Sandra.

Peço a todos que assinem a missiva da jornalista Suely Pinheiro no link que coloquei no começo desse post. É o momento de mostrar união. Alguém tem que defender os autores nessa carnificina cultural. Conto com vocês!

Solar Literário

O Solar Literário é o resultado de uma parceria entre a Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil e o Solar Meninos de Luz. O evento consiste em uma série de encontros de autores da AEILIJ com crianças e jovens do Solar, toda última terça-feira do mês e toda segunda quinta-feira do mês, sempre às 16:30hs. A coordenação dos encontros ficou por conta de Anna Claudia Ramos e Sandra Pina.

As datas dos encontros são as seguintes (pode haver modificações):

14/04/2011 Sandra Pina
26/04/2011 Thais Linhares
12/05/2011 Rogério Andrade Barbosa
31/05/2011 Anna Claudia Ramos
09/06/2011 Carla Pilla
28/06/2011 Anielizabeth
14/07/2011 Luiz Antonio Aguiar
26/07/2011 (férias)
11/08/2011 Alexandre de Castro Gomes e Cris Alhadeff
30/08/2011 Eliana Martins
08/09/2011 Maurício Veneza
27/09/2011 Naná Martins
13/10/2011 Edna Bueno
25/10/2011 Zé Zuca
10/11/2011 JP Veiga
29/11/2011 André Moura
13/11/2011 Ângela Leite de Souza

A Cris e eu iremos no dia 11 de agosto, quando as crianças retornarem das férias. Estamos muito animados com o encontro. Tenho certeza que será muito bacana. As autoras Sandra Pina e Thaís Linhares já participaram do evento. Sandra comentou que "O encontro foi muito legal. Crianças interessadas e alguns pais levados pelos próprios filhos. O espaço é um encanto e o comprometimento da equipe é uma motivação a parte."

O Solar Meninos de Luz (http://www.meninosdeluz.org.br/) é uma organização civil, filantrópica, em funcionamento desde agosto de 1991. Promove educação formal e complementar em regime integral, cultura, esportes e cuidados básicos de saúde nas comunidades do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

A AEILIJ (http://www.aeilij.org.br/) é a Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil. Tem regionais espalhadas por diversos estados do Brasil e funciona através de ações voluntárias de seus participantes.