Originais na parede

Outro dia ouvi de uma ilustradora amiga que ela jogou fora um monte de originais que se acumulavam nas gavetas de casa. Me deu uma dorzinha de perda. Resolvi começar uma nova coleção. Quero encher uma parede do meu corredor com ilustrações de artistas de LIJ. 

Falei sobre isso com amigos e alguns já ofereceram ajuda. No fim de semana passado ganhei do JP Veiga a ilustra que ele fez para o meu texto "Tem uma barata no trem!" do livro Trem de Histórias. Separei também três da Cris e uma impressão assinada de Kudu-lah, um artista de Nova Iorque. Com o tempo pretendo ir adicionando outras. Algumas podem até custar uma graninha. Mas valem cada centavo e ficam lindas na parede.

O vampiro do meu texto "Tem uma barata no trem!", por JP Veiga (em nanquim e aquarela).
A história e a ilustração fazem parte do livro "Trem de Histórias", de autores da AEILIJ.

Imagem do "Condomínio dos Monstros", da Cris Alhadeff (em lápis).
"3 eyed guy", de Kudu-lah, artista de Nova York (impressão assinada).

Hugo, o urso polar de "Como pode um pinguim no Polo Norte?", de Cris Alhadeff (em acrílica e lápis).
"Menina na festa", de Cris Alhadeff (em acrílica e lápis).

Chico em três momentos. Ainda não decidi qual vai pra parede. Acho que vou acabar colocando os três.
"O menino que coleciona guarda-chuvas", de Bruna Assis Brasil (estudos em lápis).

0 comentários:

Postar um comentário